Rotary

Casa da

Amizade

As casa da Amizade são mais difundidas na América Latina, principalmente no Brasil. Não se tem notícia de que existam, com as características das nossas, em outras regiões. Presume-se, todavia, que sim.

A primeira Associação das Senhoras dos Rotarianos - Casa da Amizade, no Brasil, foi fundada em 1938, em Bauru. Seguiram-se:

- Petrópolis e Niterói, 1939; - Santos, 1940; Paraíba, 1942; - Ribeirão Preto - a 6ª Casa da Amizade, fundada em 5 de maio de 1944, por iniciativa de nossa companheira Lourdes Dinamarco Roxo, com a denominação de Clube de Damas do Rotary; - Belém, Natal, Fortaleza, noticiadas em 1945; - Rio de Janeiro, 1948; São Paulo, 1953.

Daí para frente foi surgindo naturalmente e admite-se que todos os Rotary Clubs brasileiros contem com a colaboração de uma Casa da Amizade. No Brasil, o primeiro comparecimento de senhoras em atividades de Rotary ocorreu no R C de Rio de Janeiro, em almoço solene comemorativo do 7 de setembro, em 1924.

O R C de Ribeirão Preto teve duas fases: a 1ª, de 1929 a 1933, quando cessou suas atividades. Nessa fase, as senhoras já participavam das reuniões festivas. Foi o que registrou o governador Edmundo de Carvalho, em 1929/30, em sua Carta Mensal nº2: “O R C de Ribeirão Preto instituiu a praxe de dedicar a última reunião solene do mês às famílias dos rotarianos com que procura demonstrar o natural interesse que as senhoras devem ter pelas causas abraçadas pelo Rotary Club”. Supõe-se, ante a acolhida dessa notícia na Carta Mensal em destaque, que não era comum a participação regular das senhoras em reuniões rotárias e até é válida a hipótese de que tal registro tenha motivado a adesão de outros clubes a esse procedimento. - Como se constitui e qual a finalidade de nossa Casa da Amizade? O Capítulo primeiro dos nossos estatutos dá a resposta em seus dois artigos iniciais:

“ Art 1º - Com a denominação de Associação das Senhoras de Rotarianos do Rotary Club de Ribeirão Preto - Casa da Amizade, foi constituída uma sociedade civil, com fins lucrativos, com sede nesta cidade de Ribeirão Preto, (...) com personalidade distinta de suas associadas, as quais não respondem solidariamente por obrigações por elas construídas, sociedade essa que se regerá pelas leis brasileiras e pelos presentes estatutos, considerando-se como data de sua fundação 5 de maio de 1944, então sob o nome de “Clube Damas de Rotary”, denominação posteriormente alterada para a atual em 6 de abril de 1970.”

“Art. 2º - Constitui finalidade da Associação: a) promover e fomentar a amizade entre as sócias; b) promover, junto à comunidade de Ribeirão Preto, serviços de assistência humanitária e filantrópica, educativa e médica a necessitados; c) promover reuniões de caráter cultural, destinadas a exposição de temas ou apresentação de trabalhos que visem ao fortalecimento da instituição família; d) colaborar na fundação de, ou fundar, instituições para o cumprimento dos fins sociais.”

- É interessante que se tenham presentes as prescrições seguintes: “Art. 3º - A Associação promoverá regularmente uma (1) reunião mensal, podendo ser convocadas outras reuniões, quando necessárias.” “Par. Único - Por deliberação tomada na reunião de 10 de outubro de 1982, foi oficializada como data da fundação desta associação 5 de maio de 1944, a qual deverá ser comemorada obrigatoriamente e com destaque todos os anos, na reunião do mês de maio.”

- Evidente que os Estatutos disciplinem a constituição de nosso quadro social e disso trata seu artigo 5º, que transcrevo:

“Art. 5º - o quadro social é constituído das seguintes categorias de sócias: a) Sócias efetivas são (...) as esposas de sócios do Rotary Club de Ribeirão Preto, enquanto perdurar a condição de sócios destes, excluídos os sócios honorários; b) Sócias adicionais são (...) as viúvas de sócios do Rotary Club de Ribeirão Preto falecidos na vigência de seu título de sócio (...); c) Sócias honorárias - são (...) pessoas do sexo feminino que tenham prestado relevantes serviços à associação.”

Bem, e o que dizem de nós?

O Rotary, no Manual de Procedimentos - 1981, firma este juízo: “Muitos Rotary Clubs têm o privilégio de contar com comissões de senhoras ou com outras associações compostas de senhoras parentes de rotarianos, que colaboram com os rotarianos e lhes dão apoio na prestação de serviços e em outras atividades do Rotary Club. O Conselho Diretor incentiva tais grupos e os elogia pelo excelente trabalho que executam.” O Brasil Rotário - março/88 estampa essas palavras de Maria Angela A. Martucci:

“Quando a chama do Ideal de Servir inflama o coração das esposas de rotarianos, tornam-se realidade muitos sonhos de Rotary.” Falando às suas companheiras da Casa da Amizade do Rotary Club de Londrina, Casuhê Yassuda Udihara afirmou que nossas Associações são: “o coração do verbo servir que os rotarianos conjugam no Rotary.”

- Considero, porém, sumamente importante que nós falemos para nós próprias:

É preciso que nos conscientizemos de que nossa Casa da Amizade é uma organização oficiosa colaboradora do Rotary, que se propõe servir naqueles campos não adequados às atividades do Rotary, como assistência social, filantrópica, etc. ao mesmo tempo que se empenha em contribuir para o fortalecimento da família, o desenvolvimento do companheirismo e atividades culturais, voltada, sempre que possível, para a criança abandonada e a velhice desamparada. Essa é a nossa empreitada e nosso desafio!

Maria José Ferreira Navarro